sábado, 25 de outubro de 2008

LIXO - O QUE FAZER?

O lixo continua existindo depois que o despachamos para a lixeira. A lixeira não é um desintegrador mágico do lixo e não há como não produzir lixo, mas podemos contribuir para a diminuição de sua produção.

Como? Pensando antes de comprar (40% do que compramos é lixo), reduzindo o desperdício, reutilizando sempre que possível e separando os materiais recicláveis para a coleta seletiva. Tem coisas que a gente só não faz por não saber como. E aqui vão algumas explicações e informações úteis sobre lixo, separação do lixo, danos do lixo ao meio ambiente, coleta seletiva, reciclagem, etc.

Reciclar significa transformar objetos materiais usados em novos produtos para o consumo. Esta necessidade foi despertada pelos seres humanos, a partir do momento em que se verificou os benefícios que este procedimento trás para o planeta Terra e para a vida como um todo.

Desde a década de 1980, a produção de embalagens e produtos descartáveis aumentou significativamente, assim como a produção de lixo, principalmente nos países industrializados. Muitos governos e ONGs (Organizações Não Governamentais) estão cobrando das empresas posturas responsáveis. Neste sentido, o desenvolvimento econômico deve estar aliado à preservação do meio ambiente. A população em geral, principalmente nas grandes cidades e em comunidades que prezam o meio ambiente e uma vida saudável também começam a cobrar mais fortemente das empresas e/ou indústrias essa postura ambiental. Atividades como campanhas de coleta seletiva de lixo e reciclagem de vidro, alumínio, plástico e papel, já são corriqueiras em várias cidades do mundo.

No processo de reciclagem, que além de preservar o meio ambiente também gera renda. Esta reciclagem ajuda a diminuir significativamente a poluição da água, do ar e do solo. Muitas empresas estão reciclando materiais como uma maneira de diminuir os custos de produção de seus produtos.

Outro importante benefício gerado pela reciclagem é a quantidade de novos empregos que ela tem gerado nos grandes centros urbanos. Muitas pessoas sem emprego formal (com carteira registrada) estão buscando trabalho neste ramo e conseguindo renda para manterem suas famílias. Cooperativas de catadores de papel e alumínio, por exemplo, já são comuns nas grandes cidades do Brasil.

Diversos materiais têm um índice de reaproveitamento bastante significativo como, por exemplo, o alumínio que pode ser reaproveitado 100%. Derretido, ele volta para as linhas de produção das indústrias de embalagens, reduzindo os custos para as empresas.
Várias campanhas de educação ambiental têm despertado a atenção para o problema do lixo nos grandes centros urbanos. Cada vez mais, os centros urbanos, com altos índices de crescimento da população, tem encontrado dificuldades em obter locais para instalarem depósitos de lixo (aterros).

Logo, a reciclagem mostra-se como uma solução viável do ponto de vista econômico, além de ser ambientalmente correta. Nas escolas, muitos alunos são orientados pelos educadores a separarem o lixo em suas casas. Outro fato interessante é que já é muito comum nos grandes condomínios residenciais a reciclagem do lixo.

Em regiões de zona rural a reciclagem também está acontecendo. O lixo orgânico (sobras de vegetais, frutas, grãos e legumes) é utilizado na produção de adubo orgânico para ser usado na agricultura.

Como podemos verificar, se o ser humano souber utilizar os recursos que a natureza oferece, poderemos ter, muito em breve, um ambiente mais limpo
desenvolvido de forma sustentável.


Exemplos de Produtos Recicláveis e Ainda Não Recicláveis


VIDRO (VERDE ESCURO)

- Reciclável:
Potes de alimentos (azeitonas, milho, requeijão, etc), Potes de armazenamento, Copos, Garrafas, Embalagens de molho, Frascos de v
idro, cacos de vidro, frascos de medicamentos.

- Ainda não recicláve
l:
Espelhos, Lâmpadas, Cerâmicas, Porcelanas, Cristal, Ampolas de medicamentos

- Cuidados especiais:
Devem estar limpos e sem resíduos. Podem estar inteiros ou quebrados
. Se quebrados devem ser embalados em papel grosso (jornal ou craft).


PAPEL (AZUL ESCURO)

- Reciclável:
Folhas e aparas de papel, Jornais, Revi
stas, Caixas, Papelão, Formulários de computador, Cartolinas, Cartões, Envelopes, Rascunhos escritos, Fotocópias, Folhetos, Impressos em geral, Tetra Pak

- Ainda não reciclável:

Adesivos, Etiquetas, Fita Crepe, Papel carbono, Fotografias, Papel toalha, Papel higiênico, Papéis engordurados,
Metalizados, Parafinados, Plastificados, Papel de fax

- Cuidados especiais:

Devem estar secos, limpos (sem gordura, restos de comida, graxa), de preferência não amassados. As caixas de papelão devem estar desmontadas por uma questão de otimiza
ção do espaço no armazenamento.


METAL (AMARELO)

- Reciclável:
Latas de alumínio, Latas de aço (de óleo, sardinha, molho de tomate), Ferragens, Canos, Esquadrias, Arame, pregos, tampas, tubos de pasta de alumínio, cobre, alumínio.

- Ainda não reciclável:
Clipes, Grampos,
Esponja de aço, Latas de tinta ou veneno, Latas de combustível, Pilhas, Baterias

- Cuidados especiais:
Devem estar limpos e, se possível, reduzidos a um menor volume (amassados)


PLÁSTICO (VERMELHO)

- Reciclável:
Tampas, Potes de alimentos, garrafas PET, Garrafas de água mineral, Recipientes de Limpeza, Higiene, PVC, Sacos plásticos, Brinquedos, Baldes, embalagens, sacolas de supermercado.

- Ainda não reciclável:
Cabo de panela, Tomadas, Adesivos, Espuma, Teclados de computador, Acrí
licos e, em algumas localidades, isopor

- Cuidados especiais:
Potes e frascos limpos e sem resíduos para evitar animais transmissores de doenças próximo ao local de armazenamento .


****************************

As cores universais para coleta seletiva de todos os materiais para lixo

Atenção: Caso não seja possível separar por cores, basta separar os recicláveis dos não recicláveis. Materiais não recicláveis são aqueles que não podem ser reutilizados após transformação química ou física, porém muitos materiais não são reciclados no Brasil apenas por ainda não existir tecnologia para o tipo específico de material. Fique atento para comprar um produto cuja embalagem seja reciclável, pois, dependendo do material, ela poderá ir para o lixo comum no final do processo. A presença de lixo não reciclável no processo de reciclagem é um problema pois pode prejudicar a qualidade do produto final reciclado ou até quebrar a máquina que processa o material. Exemplos comuns de contaminação são cerâmicas, terra e louças na reciclagem do vidro que, como não são fundidos junto com o vidro, acabam formando pedras no produto final, provocando quebra espontânea do vidro.

*******
***********
Tempo de absorção pela natureza de alguns materiais que jogamos no lixo

Veja abaixo uma relação de alguns materiais e o tempo que levam para serem absorvidas no solo.

• Papel comum: de 2 a 4 semanas
• Cascas de bananas: 2 anos
• Chicletes: 5 anos
• Latas: 10 anos
• Pontas de cigarros: de 10 a 20 anos
• Couro: 30 anos
• Embalagens de plástico: de 30 a 40 anos
• Cordas de náilon: de 30 a 40 anos

• Latas de alumínio: de 80 a 100 anos
• Tecidos: de 100 a 400 anos

• Vidros: 4.000 anos

Imagine esses números multiplicados pelas toneladas de lixo que são jogadas nos aterros e na natureza. Reflita bem sobre esses números e pense no que você pode fazer para diminuir esses impactos negativos sobre a vida em nosso planeta.

******************
Reduzir, Reutilizar, Reciclar

Qualquer iniciativa no sentido de redução dos impactos ambientais causadas pelo lixo humano, deverá absorver, praticar e divulgar os conceitos complementares de REDUÇÃO, REUTILIZAÇÃO e RECICLAGEM.

REDUZIR
Podemos reduzir significativamente a quantidade de lixo quando se consome menos de maneira mais eficiente, sempre racionalizando o uso de materiais e de produtos no nosso dia a dia. A título de exemplo, é possível editar e revisar documentos na tela do computador, antes de recorrer a cópias impressas; obter fotocópias em frente e verso; publicar informativos mensais ou semanais ao invés de produzir diversos memorandos; usar quadros de avisos para leitura coletiva, em substituição a circulares; omitir envelopes para correspondências internas; usar mais eficientemente os materiais de nosso cotidiano, como pilhas, pastas de dente, sapatos, roupas, etc. Uma observação considerável: os restaurantes que servem “comida a quilo” estão fazendo o maior sucesso: o mínimo desperdício possível.

REUTILIZAR
O desperdício é uma forma irracional de utilizar os recursos e diversos produtos podem ser reutilizados antes de serem descartados, podendo ser usados na função original ou criando novas formas de utilização. Exemplificando: podemos utilizar os dois lados do papel, confeccionar blocos para rascunhos com papel escritos ou impressos em apenas um dos lados; reutilizar envelopes e clipes; reutilizar latas, sacos e embalagens plásticas para vasilhames, produção de mudas e até mesmo brinquedos; triturar restos de materiais e entulhos de construção para reutilizá-los em construções simples.

RECICLAR
É o termo usado quando é re-feito, por industrias especializadas, o produto de origem industrial, artesanal e agrícola, que foi usado e descartado ao fim de seu ciclo de produção e utilização. A reciclagem vêm sendo mais usada a partir de 1970, quando se acentuou a preocupação ambiental, em função do racionamento de matérias-primas. É importante que todos se convençam não ser mais possível desperdiçar e acumular de forma poluente materiais potencialmente recicláveis.

Mesmo para quem mora em apartamentos ou casas pode começar a, pelo menos separar o lixo orgânico do reciclável. Já facilita a vida dos catadores. Caso não haja catadores de lixo em sua rua, separe o lixo reciclável e o deposite nos locais de recebimento desse tipo de lixo já existente na maioria das grandes cidades, médias e em algumas pequenas cidades.

Enfim, faça a sua parte! O tempo de não participação nos problemas de nossas cidades, de nossas sociedades e culturas, enfim, da vida em geral, já passou. Estamos na era da co-participação, do com-partilhamento, da co-responsabilidade, da co-operação. Participe!

********************
FONTES:
http://www.todabiologia.com/ecologia/reciclagem.htm
http://www.suapesquisa.com/reciclagem/
http://www.lixo.com.br/index.php
www.colmagno.com.br/meioambiente/sou_terra_D.gif

Um comentário:

Maria Oliveira disse...

Vamos aprender: coleta seletiva faz quem recolhe o material que foi descartado, quem descarta faz descarte seletivo. Quem sabe usando a definição correta consigamos fazer entender, por em prática, e tornar hábito essa forma de higiene.