terça-feira, 28 de outubro de 2008

ESTUDO AFIRMA QUE ESTILO DE VIDA DO SER HUMANO ESTÁ ACIMA DA CAPACIDADE DO PLANETA

FONTE: http://br.noticias.yahoo.com/s/28102008/40/saude-estudo-diz-estilo-vida-homem.html

Genebra, 29 out (EFE).- A Terra perdeu, em pouco mais de um quarto de século, quase um terço de sua riqueza biológica e recursos, e no atual ritmo, a humanidade necessitará de dois planetas em 2030 para manter seu estilo de vida, advertiu hoje o Fundo Mundial para a Natureza (WWF, por sua sigla em inglês).

A demanda da população excede em cerca de 30% a capacidade regeneradora da Terra, segundo o Relatório Planeta Vivo 2008, divulgado por esta organização ambientalista a cada dois anos sobre a situação ambiental dos ecossistemas.

"O mundo está lutando atualmente com as conseqüências de ter supervalorizado seus ativos financeiros. Mas uma crise muito mais grave ainda virá: um desastre ecológico causado pela não valorização de nossos recursos ambientais, que são a base de toda a vida e da prosperidade", disse o diretor-geral da WWF, James Leape.

O estudo mostra que mais de 75% da população mundial vive atualmente em países que são "devedores ecológicos", onde o consumo nacional superou sua capacidade biológica de regeneração.

"A maioria de nós segue alimentando nosso estilo de vida e nosso crescimento econômico extraindo cada vez mais o capital ecológico de outras partes do mundo", afirmou Leape.

"Se as demandas em nosso planeta continuarem crescendo no mesmo ritmo, em meados dos anos 30 necessitaremos do equivalente a dois planetas para manter nosso estilo de vida", acrescentou.

O relatório, elaborado desde 1998, revela que o Índice Planeta Vivo (IPV) caiu quase 30% desde 1970. Isto significa que se reduziram nessa proporção aproximadamente 5 mil povoações naturais de cerca de 1.686 espécies, uma taxa superior a de 25% do relatório de 2006.

Estas perdas se devem a fatores como desmatamento, poluição, pesca proibida, impacto de diques e mudança climática.

"Estamos atuando ecologicamente (...) buscando a gratificação imediata sem olhar as conseqüências", lamentou Jonathan Loh, co-diretor da Sociedade Zoológica de Londres.

Segundo o estudo, que mediu a "pegada ecológica da humanidade", ou a deterioração que as atividades humanas produzem nos sistemas naturais, estas utilizaram uma média de 2,7 hectares globais por pessoa, enquanto a capacidade dos sistemas de absorver o impacto só chega a 2,1 hectares em média por pessoa.

Os Estados Unidos e a China contam com as maiores pegadas ecológicas nacionais. Cada um conta com 21% da capacidade global de absorver o impacto, no entanto os dois países "consomem" uma parte muito maior dos recursos.

Assim, cada cidadão dos EUA requer uma média de 9,4 hectares globais, enquanto que os chineses usam uma média de 2,1 hectares.

Além disso, oito nações - EUA, Brasil, Rússia, China, Índia, Canadá, Argentina e Austrália - contêm mais da metade dessa capacidade global.

No entanto, EUA, China e Índia, devido a suas povoações e hábitos de consumo, são "devedores ecológicos", com pegadas ecológicas superiores às suas capacidades, pois a excedem, respectivamente, 1,8 vezes, 2,3 vezes, e 2,2 vezes.

Estes dados contrastam com os do Congo, com uma capacidade de absorver o impacto de quase 14 hectares globais por pessoa e que só utiliza 0,5 por habitante, mas que enfrenta um futuro de degradação ambiental pelo desmatamento e pelas crescentes demandas de uma população em crescimento e por pressões para exportar seus produtos.

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

PRECICLAR - Contribuição para a diminuição do lixo

Você sabia que 40% do que compramos é lixo?


Preciclar é uma atitude anterior à necessidade de reciclagem. Preciclar é se perguntar sobre que tipo de material vem embutido em todas as etapas de produção do produto que você está querendo comprar. Logo de cara você se dá conta de que o que você está comprando vem embalado de alguma forma.


Aí você se pergunta: Essa embalagem pode ser reutilizada? Pode ser reciclada? Pode ser transformada em outro produto para uso? Qual o seu nível de biodegradação? Caso não possa ser reaproveitado, quanto tempo leva para ser absorvido pela natureza, já que seu destino será o lixo? Caso a resposta seja um enorme espanto de impacto ambiental, você pode tentar comprar outro produto mais aproveitável, mesmo sendo um pouco mais caro.


E o que restará do produto que você está querendo comprar depois que você o utilizar? Também poderá ser reciclado, reutilizado? Qual o impacto que o mesmo irá causar na natureza se for para o lixo?


Para não piorar a poluição plástica, podemos adotar hábitos simples de preciclagem como:

- levar de casa nossa sacola não descartável para ir às compras;

- recusar aqueles saquinhos plásticos inúteis e desnecessários, como os que nos dão na farmácia para acondicionar uma caixinha que cabe na nossa bolsa. O que fazemos com aquele saquinho quando chegamos em casa? Jogamos no lixo, ou seja, em algum lugar do planeta;

- evitar consumir copos descartáveis. No trabalho, adote canecas de louça. Se você usar 4 copos plásticos por dia útil de trabalho - 2 para cafezinho e 2 para água -, ao final do mês você terá jogado no lixo 88 copos. Ao final de 1 ano - 11meses, descontando suas férias - você terá jogado no lixo 968 copinhos.


Nossa responsabilidade com o meio ambiente e com uma vida melhor para todos começa com nossas escolhas conscientes e não simplesmente pelo que está ofertado na prateleira. Nós temos responsabilidade também sobre que tipo de produto está nos sendo ofertado.


Então, pesquise! Informe-se! Sua reponsabilidade como comprador, usuário, beneficiário, etc de produtos e/ou serviços recai também sobre todo o processo de fabricação e oferta dos mesmos. Você se torna conivente indireto.

sábado, 25 de outubro de 2008

LIXO - O QUE FAZER?

O lixo continua existindo depois que o despachamos para a lixeira. A lixeira não é um desintegrador mágico do lixo e não há como não produzir lixo, mas podemos contribuir para a diminuição de sua produção.

Como? Pensando antes de comprar (40% do que compramos é lixo), reduzindo o desperdício, reutilizando sempre que possível e separando os materiais recicláveis para a coleta seletiva. Tem coisas que a gente só não faz por não saber como. E aqui vão algumas explicações e informações úteis sobre lixo, separação do lixo, danos do lixo ao meio ambiente, coleta seletiva, reciclagem, etc.

Reciclar significa transformar objetos materiais usados em novos produtos para o consumo. Esta necessidade foi despertada pelos seres humanos, a partir do momento em que se verificou os benefícios que este procedimento trás para o planeta Terra e para a vida como um todo.

Desde a década de 1980, a produção de embalagens e produtos descartáveis aumentou significativamente, assim como a produção de lixo, principalmente nos países industrializados. Muitos governos e ONGs (Organizações Não Governamentais) estão cobrando das empresas posturas responsáveis. Neste sentido, o desenvolvimento econômico deve estar aliado à preservação do meio ambiente. A população em geral, principalmente nas grandes cidades e em comunidades que prezam o meio ambiente e uma vida saudável também começam a cobrar mais fortemente das empresas e/ou indústrias essa postura ambiental. Atividades como campanhas de coleta seletiva de lixo e reciclagem de vidro, alumínio, plástico e papel, já são corriqueiras em várias cidades do mundo.

No processo de reciclagem, que além de preservar o meio ambiente também gera renda. Esta reciclagem ajuda a diminuir significativamente a poluição da água, do ar e do solo. Muitas empresas estão reciclando materiais como uma maneira de diminuir os custos de produção de seus produtos.

Outro importante benefício gerado pela reciclagem é a quantidade de novos empregos que ela tem gerado nos grandes centros urbanos. Muitas pessoas sem emprego formal (com carteira registrada) estão buscando trabalho neste ramo e conseguindo renda para manterem suas famílias. Cooperativas de catadores de papel e alumínio, por exemplo, já são comuns nas grandes cidades do Brasil.

Diversos materiais têm um índice de reaproveitamento bastante significativo como, por exemplo, o alumínio que pode ser reaproveitado 100%. Derretido, ele volta para as linhas de produção das indústrias de embalagens, reduzindo os custos para as empresas.
Várias campanhas de educação ambiental têm despertado a atenção para o problema do lixo nos grandes centros urbanos. Cada vez mais, os centros urbanos, com altos índices de crescimento da população, tem encontrado dificuldades em obter locais para instalarem depósitos de lixo (aterros).

Logo, a reciclagem mostra-se como uma solução viável do ponto de vista econômico, além de ser ambientalmente correta. Nas escolas, muitos alunos são orientados pelos educadores a separarem o lixo em suas casas. Outro fato interessante é que já é muito comum nos grandes condomínios residenciais a reciclagem do lixo.

Em regiões de zona rural a reciclagem também está acontecendo. O lixo orgânico (sobras de vegetais, frutas, grãos e legumes) é utilizado na produção de adubo orgânico para ser usado na agricultura.

Como podemos verificar, se o ser humano souber utilizar os recursos que a natureza oferece, poderemos ter, muito em breve, um ambiente mais limpo
desenvolvido de forma sustentável.


Exemplos de Produtos Recicláveis e Ainda Não Recicláveis


VIDRO (VERDE ESCURO)

- Reciclável:
Potes de alimentos (azeitonas, milho, requeijão, etc), Potes de armazenamento, Copos, Garrafas, Embalagens de molho, Frascos de v
idro, cacos de vidro, frascos de medicamentos.

- Ainda não recicláve
l:
Espelhos, Lâmpadas, Cerâmicas, Porcelanas, Cristal, Ampolas de medicamentos

- Cuidados especiais:
Devem estar limpos e sem resíduos. Podem estar inteiros ou quebrados
. Se quebrados devem ser embalados em papel grosso (jornal ou craft).


PAPEL (AZUL ESCURO)

- Reciclável:
Folhas e aparas de papel, Jornais, Revi
stas, Caixas, Papelão, Formulários de computador, Cartolinas, Cartões, Envelopes, Rascunhos escritos, Fotocópias, Folhetos, Impressos em geral, Tetra Pak

- Ainda não reciclável:

Adesivos, Etiquetas, Fita Crepe, Papel carbono, Fotografias, Papel toalha, Papel higiênico, Papéis engordurados,
Metalizados, Parafinados, Plastificados, Papel de fax

- Cuidados especiais:

Devem estar secos, limpos (sem gordura, restos de comida, graxa), de preferência não amassados. As caixas de papelão devem estar desmontadas por uma questão de otimiza
ção do espaço no armazenamento.


METAL (AMARELO)

- Reciclável:
Latas de alumínio, Latas de aço (de óleo, sardinha, molho de tomate), Ferragens, Canos, Esquadrias, Arame, pregos, tampas, tubos de pasta de alumínio, cobre, alumínio.

- Ainda não reciclável:
Clipes, Grampos,
Esponja de aço, Latas de tinta ou veneno, Latas de combustível, Pilhas, Baterias

- Cuidados especiais:
Devem estar limpos e, se possível, reduzidos a um menor volume (amassados)


PLÁSTICO (VERMELHO)

- Reciclável:
Tampas, Potes de alimentos, garrafas PET, Garrafas de água mineral, Recipientes de Limpeza, Higiene, PVC, Sacos plásticos, Brinquedos, Baldes, embalagens, sacolas de supermercado.

- Ainda não reciclável:
Cabo de panela, Tomadas, Adesivos, Espuma, Teclados de computador, Acrí
licos e, em algumas localidades, isopor

- Cuidados especiais:
Potes e frascos limpos e sem resíduos para evitar animais transmissores de doenças próximo ao local de armazenamento .


****************************

As cores universais para coleta seletiva de todos os materiais para lixo

Atenção: Caso não seja possível separar por cores, basta separar os recicláveis dos não recicláveis. Materiais não recicláveis são aqueles que não podem ser reutilizados após transformação química ou física, porém muitos materiais não são reciclados no Brasil apenas por ainda não existir tecnologia para o tipo específico de material. Fique atento para comprar um produto cuja embalagem seja reciclável, pois, dependendo do material, ela poderá ir para o lixo comum no final do processo. A presença de lixo não reciclável no processo de reciclagem é um problema pois pode prejudicar a qualidade do produto final reciclado ou até quebrar a máquina que processa o material. Exemplos comuns de contaminação são cerâmicas, terra e louças na reciclagem do vidro que, como não são fundidos junto com o vidro, acabam formando pedras no produto final, provocando quebra espontânea do vidro.

*******
***********
Tempo de absorção pela natureza de alguns materiais que jogamos no lixo

Veja abaixo uma relação de alguns materiais e o tempo que levam para serem absorvidas no solo.

• Papel comum: de 2 a 4 semanas
• Cascas de bananas: 2 anos
• Chicletes: 5 anos
• Latas: 10 anos
• Pontas de cigarros: de 10 a 20 anos
• Couro: 30 anos
• Embalagens de plástico: de 30 a 40 anos
• Cordas de náilon: de 30 a 40 anos

• Latas de alumínio: de 80 a 100 anos
• Tecidos: de 100 a 400 anos

• Vidros: 4.000 anos

Imagine esses números multiplicados pelas toneladas de lixo que são jogadas nos aterros e na natureza. Reflita bem sobre esses números e pense no que você pode fazer para diminuir esses impactos negativos sobre a vida em nosso planeta.

******************
Reduzir, Reutilizar, Reciclar

Qualquer iniciativa no sentido de redução dos impactos ambientais causadas pelo lixo humano, deverá absorver, praticar e divulgar os conceitos complementares de REDUÇÃO, REUTILIZAÇÃO e RECICLAGEM.

REDUZIR
Podemos reduzir significativamente a quantidade de lixo quando se consome menos de maneira mais eficiente, sempre racionalizando o uso de materiais e de produtos no nosso dia a dia. A título de exemplo, é possível editar e revisar documentos na tela do computador, antes de recorrer a cópias impressas; obter fotocópias em frente e verso; publicar informativos mensais ou semanais ao invés de produzir diversos memorandos; usar quadros de avisos para leitura coletiva, em substituição a circulares; omitir envelopes para correspondências internas; usar mais eficientemente os materiais de nosso cotidiano, como pilhas, pastas de dente, sapatos, roupas, etc. Uma observação considerável: os restaurantes que servem “comida a quilo” estão fazendo o maior sucesso: o mínimo desperdício possível.

REUTILIZAR
O desperdício é uma forma irracional de utilizar os recursos e diversos produtos podem ser reutilizados antes de serem descartados, podendo ser usados na função original ou criando novas formas de utilização. Exemplificando: podemos utilizar os dois lados do papel, confeccionar blocos para rascunhos com papel escritos ou impressos em apenas um dos lados; reutilizar envelopes e clipes; reutilizar latas, sacos e embalagens plásticas para vasilhames, produção de mudas e até mesmo brinquedos; triturar restos de materiais e entulhos de construção para reutilizá-los em construções simples.

RECICLAR
É o termo usado quando é re-feito, por industrias especializadas, o produto de origem industrial, artesanal e agrícola, que foi usado e descartado ao fim de seu ciclo de produção e utilização. A reciclagem vêm sendo mais usada a partir de 1970, quando se acentuou a preocupação ambiental, em função do racionamento de matérias-primas. É importante que todos se convençam não ser mais possível desperdiçar e acumular de forma poluente materiais potencialmente recicláveis.

Mesmo para quem mora em apartamentos ou casas pode começar a, pelo menos separar o lixo orgânico do reciclável. Já facilita a vida dos catadores. Caso não haja catadores de lixo em sua rua, separe o lixo reciclável e o deposite nos locais de recebimento desse tipo de lixo já existente na maioria das grandes cidades, médias e em algumas pequenas cidades.

Enfim, faça a sua parte! O tempo de não participação nos problemas de nossas cidades, de nossas sociedades e culturas, enfim, da vida em geral, já passou. Estamos na era da co-participação, do com-partilhamento, da co-responsabilidade, da co-operação. Participe!

********************
FONTES:
http://www.todabiologia.com/ecologia/reciclagem.htm
http://www.suapesquisa.com/reciclagem/
http://www.lixo.com.br/index.php
www.colmagno.com.br/meioambiente/sou_terra_D.gif

Maratona de Biodança


Local: Monte Belo do Sul, antigo distrito de Bento Gonçalves - Rio Grande do Sul

Data: 16 a 20 de janeiro de 2009

Didata: Carlos Manuel Dias - Nenel

Contato: carmen.paixao@terra.com.br / 54.9172.5211 / msn: carmen.paixao@hotmail.com


******************

Informações enviadas por Carmen Paixão



Para ver todos os posts "Grupos de Biodança" clique aqui

sábado, 18 de outubro de 2008

EARTHLINGS - HABITANTES DA TERRA

Você sabe o que é especista?
TERRÁQUEOS (Earthlings) é um filme-documentário sobre a absoluta dependência da humanidade em relação aos animais (para estimação, alimentação, vestuário, diversão e desenvolvimento científico), mas também ilustra nosso completo desrespeito para com os assim chamados "provedores não-humanos".

Este filme é narrado por Joaquin Phoenix (GLADIADOR) e possui trilha sonora composta pelo artista Moby. Com um profundo estudo dentro das pet-shops, criatórios de filhotes e abrigos de animais, bem como em fazendas industriais, no comércio de couro e peles, indústria de esporte e entretenimento e, finalmente, na carreira médica e científica, TERRÁQUEOS usa câmeras escondidas e filmagens inéditas para narrar as práticas diárias de algumas das maiores indústrias do mundo, as quais dependem de animais para lucrar.

Impactante, informativo e provocando reflexões, TERRÁQUEOS é de longe o mais completo documentário jamais produzido sobre a conexão entre natureza, animais, e interesses econômicos. Há vários filmes importantes sobre os direitos dos animais, mas este supera os demais.

TERRÁQUEOS tem que ser assistido. Altamente recomendado!


sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Aula aberta de Biodança

Convite enviado para divulgação, pelo meu amigo Reni, companheiro da Escola de Biodança do Ceará:



Quem se interessa pela biodança está convidado a assistir aula aberta que se realizará:


quinta-feira dia 23/10
às 19:30 hs

no ESPAÇO DE RENASCCER

Rua Fonseca Lobo, 297 Aldeota Fortaleza – Ceará

Fone/Fax: 85 3461-3101

E-mail: lualstar@uol.com.br

Atrás do DETRAN da Santos Dumont




Para ver todos os posts "Grupos de Biodança" clique aqui

MORRE LENTAMENTE...

"Morre lentamente...
...quem não viaja, quem não lê,
quem não ouve música,
quem destrói o seu amor próprio,
quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente...
Quem se transforma escravo do hábito,
repetindo todos os dias o mesmo trajeto,
quem não muda as marcas no supermercado,
não arrisca vestir uma cor nova,
não conversa com que não conhece.

Morre lentamente...
Quem evita uma paixão,
quem prefere o "preto no branco" e os "pingos nos is"
a um turbilhão de emoções indomáveis,
justamente as que resgatam brilho nos olhos,
sorrisos e soluços, coração aos tropeços, sentimentos.

Morre lentamente...
Quem não vira a mesa quando está infeliz no trabalho;
quem não arrisca o certo pelo incerto atrás de um sonho;
quem não se permite, uma vez na vida,
fugir dos conselhos sensatos.

Morre lentamente...
Quem passa os dias queixando-se da má sorte
ou da chuva incessante,
desistindo de um projeto antes de iniciá-lo,
não perguntando sobre um assunto que desconhece
e não respondendo quando lhe indagam o que sabe.

Evitemos a morte em doses suaves,
recordando sempre
que estar vivo exige um esforço muito maior
do que o simples ato de respirar...
Estejamos vivo, então!"



Pablo Neruda.

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

EDUCAÇÃO BIOCÊNTRICA - Por uma educação centrada na vida

Texto de Feliciano Edi Vieira Flores
Do site:
www.prorext.ufrgs.br/nucleos/niete/texto-feliciano2.doc
Fotos extraídas de diversos sites da Web e do meu arquivo pessoal

EDUCAÇÃO HOJE

A Educação institucionalizada que vigora predominantemente nas sociedades atuais consiste em um processo de enquadramento da pessoa a um modelo determinado pela cultura; objetiva levar o “educando” à adaptação a esquemas de convivência considerados adequados para aquela sociedade.

Este enquadramento é orientado por modelos e esquemas de conduta, que prevêem e estabelecem como deverá ser o comportamento da pessoa no seu meio social, e por modelos e esquemas de conhecimentos, isto é, estabelecendo a priori o que é importante saber e que conhecimentos têm valor para aquela sociedade.

Assim, a Educação institucionalizada, com suas normas de comportamento e seus programas de conteúdos, é um processo que atua de fora para dentro, sem considerar, e mesmo desrespeitando completamente a individualidade, a identidade pessoal.

Nas palavras de Rolando Toro (1991), criador de Sistema Biodanzaâ:

“A Educação contemporânea, em quase todo o Ocidente, não cumpre sua tarefa de entr

egar ao indivíduo pautas internas de desenvolvimento. Não desperta nele os germens naturais de vitalidade, nem os valores do íntimo. Não desenvolve os potenciais criativos, a liberdade intelectual, nem a singularidade das aptidões. Não fomenta o esplendor das relações humanas. A Educação atual tende a produzir a adaptação servil ao establishment”.

A estrutura do sistema escolar é fundamentalmente influenciada por conceitos religiosos/militaristas de autoridade e hierarquia e por conceitos desportivos na sua pior acepção de competição e superação do adversário.

Os alunos sentam-se em fileiras, um olhando a nuca do outro, em “posição de sentido”, enquanto o “sargento-professor”, freqüentemente sobre um plano mais elevado, dá as ordens do que aprender e de como se comportar.

No caso destas ordens não serem cumpridas, terá que fazer “flexões” de constrangimento na Orientação Pedagógica ou a “solitária” na sala da Direção. A pena maior é a “prisão” naquele nível letivo por mais um ano.

A modalidade desportiva consiste nos “saltos de obstáculos” das provas, na “conquista” das notas e na “vitória” de passar de ano.

Na escola se pratica o mais nefasto darwinismo social: a luta pela vida e a predominância do mais forte. Tudo isto justificado pela pretensa preparação do aluno para ter sucesso futuro na livre e sadia competição no mercado de trabalho.

Cabe aqui citar a expressão de H. Maturana (1997), em seu livro Emociones y Lenguaje en Educación y Politica:

“A competição não é e nem pode ser sadia porque se constitui na negação do outro”

Trabalho cooperativo, nem pensar: o meu “colega-adversário” será um outro “competidor” no Vestibular e na exigente arena do citado mercado de trabalho.

Os movimentos instintivos de associação, cooperação, divisão de tarefas e integração, típicos dos organismos e comunidades vivos, são absolutamente negados na escola como reflexo do que ocorre na sociedade.

Neste particular temos que admitir que a escola não poderia ser outra na sociedade em que vivemos.

Por outro lado, é precisamente na escola que a transformação da sociedade pode ter início.

POR UMA ECUCAÇÃO CENTRADA NA VIDA

Ao ser proposta uma Educação centrada na vida torna-se necessário esclarecer o que se pretende com cada termo utilizado.

O conceito de Educação pode ser examinado na visão de diferentes autores. O sentido que usamos resulta de uma interpretação das raízes etimológicas da palavra: ex = para fora; ducere = conduzir, tirar. Assim, entendemos que Educação é o processo de possibilitar e incentivar o ser humano a “sair para fora”, expressar todas as suas potencialidades, tirar de dentro tudo aquilo que o revela como “ser humano”.

Quanto à idéia de vida que pretendemos apresentar aqui, esclarecemos:

1º - Vida, no contexto que a tomamos, não significa apenas a experiência do cotidiano no sentido da “vida que a gente leva”. No entanto, ao dizermos que “não significa apenas”, queremos assegurar que significa também o “viver de cada dia”.

Este viver passa a ter um significado especial, mais saboroso e nobre, quando o vivemos impregnados de um sentido mais profundo de vida.

2º - Vida, no contexto que a tomamos, não se limita, também, apenas às propriedades biológicas dos chamados seres vivos. Não obstante, consideramos que este aspecto, o biológico, não está fora da concepção de vida que queremos apresentar.

Quando usamos o termos Vida, aqui com letra maiúscula, como centro de um processo educativo, queremos significar “vida como expressão existencial”.

Sem pretender entrar no campo filosófico, entendemos que existimos porque estamos vivos, somos porque nos damos conta da manifestação da vida em nós.

E a vida em nós é o que realmente podemos chamar de milagre.

Cada um de nós, em particular, é o resultado de milhares ou milhões de encontros entre pares humanos que se reconheceram e, muito provavelmente, se amaram. De cada encontro se originaram outros seres humanos que novamente se encontraram, se amaram e deram continuidade à procriação de outros pares, até chegarem aos nossos pais. Estes, a partir de células vivas saídas de seus corpos, possibilitaram a formação de nosso corpo vivo. Somos, portanto, biologicamente, a continuidade, sem interrupção, de fusões e multiplicações celulares, cuja origem se perde na origem da própria vida sobre a Terra.

Quanto aos encontros originários, podemos quase garantir que, se um deles, e apenas um, não tivesse ocorrido, certamente não estaríamos aqui agora. Somos, portanto, cada um de nós, o milagre dos encontros que se deram na forma que se deram.

Somos, também, e cada um de nós, formados por um corpo constituído de um aglomerado de células, cujo conteúdo vem passando, sem interrupção, de dois corpos para um outro, através das gerações. Assim, graças a esta teia de relações que nos precede, somos todos parentes, somos todos irmãos.

Assumindo que a Vida em nós é o milagre dos encontros que nos precederam, nos sentimos na obrigação de reverenciá-la como a manifestação do Sagrado.

A Vida é, portanto, uma Hierofania.

A Educação Biocêntrica visa a conexão com a Vida.

Propondo uma inversão paradigmática, a Educação Biocêntrica objetiva a expressão da Identidade e a construção da Autonomia através de um processo de dentro para fora.

A expressão da Identidade se dá na relação com o outro e com o mundo. Ao ser reconhecido pelo outro e ao reconhecê-lo como semelhante mas distinto, eu me identifico como ser único e singular. Ao me inserir e integrar ao mundo, passo a fazer parte dele e do Todo. Como um holograma vivo, sou parte e todo no Universo.

Neste sentido, a competição individualista não cabe em um mundo no qual devemos “reconhecer o outro como legítimo outro”, citando novamente H. Maturana (1999).

Reconhecer o outro implica muito mais do que uma atitude ética: significa desenvolver pelo outro uma relação emocional que se exprime na afetividade, no amor incondicional aos semelhantes, na relação fraterna, solidária e altruísta.

A Autonomia se constrói a partir das potencialidades do ser humano, daquilo que cada um é como indivíduo, daquilo que recebeu como herança genética.

Estes potenciais de vida são incentivados a se manifestar na Educação Biocêntrica através do uso do Sistema Biodanza® como instrumento mediador no processo educativo.

A identificação e caracterização destes potenciais são delineadas por Rolando Toro (1991), eminente psicólogo e antropólogo chileno, sistematizador da Biodanza®:

- a sensação eufórica de estar vivo e o ímpeto vital que nos faz estar-no-mundo com coragem, alegria e entusiasmo - a Vitalidade;

- o prazer sensorial de relacionar-nos com o mundo e com os outros manifestando nossa capacidade de desejar, buscar e desfrutar as coisas boas da vida - a Sexualidade;

- a possibilidade de criar coisas novas, de participar na transformação do mundo, de expressar-nos pela arte - a Criatividade;

- a alegria da relação afetiva, da amizade, do amor, do vínculo com os semelhantes, da solidariedade e do altruísmo – a Afetividade;

- o anseio pela transcendência, pela busca da harmonia existencial e da integração à humanidade e ao universo – a Transcendência.

A Educação Biocêntrica visa o desenvolvimento otimizado destes potenciais de vida e a expressão de uma identidade relacional e amorosa.

A prática da Educação Biocêntrica, portanto, exige uma mudança existencial de paradigmas e uma nova maneira de ver o mundo. Devemos abandonar o antigo paradigma antropocêntrico e assumir como fundamento de vida um Princípio Biocêntrico, que considera a Vida como valor supremo e como manifestação hierofânica do Sagrado.


Bibliografia citada:

Maturana, Humberto – Emociones y Lenguaje en Educación y Politica. Santiago de Chile: Dolmen, 1997.

Maturana, Humberto – Transformaciónen la Convivencia. Santiago de Chile: Dolmen, 1999.

Toro, Rolando – Teoria da Biodança - Coletânea de textos. Fortaleza: Editora ALAB, 1991.


Texto resumido do tema desenvolvido na Mesa Temática

“BIODANÇA: PRINCÍPIOS E VIVÊNCIAS BIOCÊNTRICAS NA EDUCAÇÃO”,

apresentada no

II FÓRUM NACIONAL DE EDUCAÇÃO: HUMANIZANDO TEORIA E PRÁTICA.

UNISC – Universidade de Santa Cruz do Sul – agosto, 2002.


Autor: Feliciano Edi Vieira Flores: Licenciado em Biologia, Mestre em Fisiologia Vegetal, Doutor em Ciências Naturais. Facilitador-Didata na Escola Gaúcha de Biodanza.

______________________

do site: www.prorext.ufrgs.br/nucleos/niete/texto-feliciano2.doc

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

PEGADA ECOLÓGICA

PEGA LEVE
Do site da WWF:

http://www.wwf.org.br/index.cfm

Entre no link abaixo para ver qual é a sua pegada:
http://www.pegadaecologica.org.br/



CADA UM DE NÓS PODE FAZER MUITO PELO MEIO AMBIENTE

A consciência ambiental e a conservação da natureza devem ser exercitadas não só pela sociedade, mas por cada um de nós em nosso cotidiano.

Ao fazer nossa parte em casa, no trabalho e mobilizando as pessoas que nos são próximas, estamos reduzindo nossa Pegada Ecológica e colaborando para um planeta mais saudável.

Clique abaixo, leia e repasse para amigos e familiares dicas simples de conservação.
Ajude-nos neste esforço e contribua para salvar a natureza no Brasil e no mundo.

http://www.wwf.org.br/participe/acao/dicas/index.cfm




terça-feira, 14 de outubro de 2008

QUEM MORRE? (Martha Medeiros)


Morre lentamente
Quem não viaja,
Quem não lê,
Quem não ouve música,
Quem não encontra graça em si mesmo

Morre lentamente
Quem destrói seu amor próprio,
Quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente
Quem se transforma em escravo do hábito
Repetindo todos os dias os mesmos trajeto,
Quem não muda de marca,
Não se arrisca a vestir uma nova cor ou
Não conversa com quem não conhece.

Morre lentamente
Quem evita uma paixão e seu redemoinho de emoções,
Justamente as que resgatam o brilho dos
Olhos e os corações aos tropeços.

Morre lentamente
Quem não vira a mesa quando está infeliz
Com o seu trabalho, ou amor,
Quem não arrisca o certo pelo incerto
Para ir atrás de um sonho,
Quem não se permite, pelo menos uma vez na vida,
Fugir dos conselhos sensatos...

Viva hoje !
Arrisque hoje !
Faça hoje !
Não se deixe morrer lentamente !

NÃO SE ESQUEÇA DE SER FELIZ

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Programa Cinco Minutos de Valores Humanos para a Escola


Não é de valores humanos que o mundo mais está necessitando?
E não são as crianças os cidadãos de amanhã?

Pois bem, temos a grata satisfação de apresentar às escolas uma proposta de ensino de valores humanos, num formato de fácil implantação e custo mínimo, com a conclusão da primeira etapa do Programa Cinco Minutos de Valores Humanos para a escola. Esse Programa consta de pequenas aulas de apenas 5 minutos, a serem ministradas diariamente, não interferindo assim com o andamento da programação normal das escolas. Também, afigura-se mais proveitoso o ensino de valores humanos em pequenas aulas diárias, do que em uma aula semanal com duração normal. Há mais facilidade para a fixação dos conteúdos.

Grande parte das aulas foi elaborada utilizando-se de contos e inserção de situações fictícias esclarecedoras, permitindo aos alunos, mais fácil fixação dos ensinamentos. Em determinados momentos, as aulas permitem maior interação entre professor e alunos, com socialização dos temas e algumas vezes envolvem diretamente a família e amigos em pesquisas. Elas foram elaboradas de tal forma que qualquer professor ou professora, em qualquer parte do país, não terá dificuldade para ministrá-las.

Ao elaborar esse Programa temos tido o cuidado de abordar todos os temas relacionados a valores humanos, tais como, afetividade, ética, paz, bom convívio, justiça, honestidade, respeito, responsabilidade, boas maneiras, solidariedade, etc. Também procuramos exaltar pessoas importantes da História que vivenciaram tais valores; igualmente, mostrar sempre que cultivar esses valores é bom e benéfico para quem os cultiva, não os apresentando como imposições.

As aulas para todo o ano letivo do 5° ano já estão prontas e disponíveis para download inteiramente gratuito no endereço http://www.cincominutos.org/material.didatico.htm

A metodologia é muito simples. As aulas têm partes que estão no formato de leitura, ou seja, o(a) professor(a) lê para os alunos, e outras nas quais faz perguntas, incentiva respostas e socializa assuntos. Elas foram elaboradas de tal forma que qualquer professor(a), em qualquer parte do país, não terá dificuldades para ministrá-las.

Informações mais detalhadas do Programa você poderá encontrar no sítio www.cincominutos.org

Não cause estranheza o fato de nossos fins não serem lucrativos.

Estamos convencidos de que, se o extraordinário progresso da ciência e da tecnologia não se fizer acompanhar pelo crescimento também em valores humanos, haverá pouca esperança para a humanidade. Assim, embora de forma diminuta, estamos procurando fazer o que nos é possível para que o mundo se torne melhor.

Somos um grupo¹ de pessoas residentes em Fortaleza-CE, a maioria ligada à área da educação que, preocupadas com a atual situação de indigência em valores humanos verificada em grande parcela da nossa sociedade, vem buscar contribuir para a reversão dessa situação, que a cada dia torna-se mais complexa.

Contatos poderão ser feitos:
Tel. (85) 3249-6812 - das 8:00h às 16:00h.
caminhos@bemviver.org
caminhos2008@gmail.com
www.cincominutos.org

* As aulas para o primeiro semestre do 5° ano estão disponíveis também em formato de livro impresso. Tamanho do livro: 10 x 14cm, com 165 páginas. Pedidos podem ser feitos por e-mail para o endereço informado no site. Como meio de cobrir os custos de redação, impressão e distribuição, está sendo cobrado o valor de R$ 16,00 (dezesseis Reais). Aquisições feitas diretamente à editora, e conforme a quantidade solicitada, receberão descontos que podem chegar a 35%, sem despesas com o frete.

___________________
¹ Programa Cinco Minutos de Valores Humanos para a Escola

Idealização e coordenação:

  • Saara Nousiainen - escritora, com mais de doze obras publicadas, teatróloga, radialista, com atividades sempre voltadas para o crescimento interior e ético do ser humano.
Equipe de apoio e de orientação pedagógica:
  • Maria do Socorro de Sousa Rodrigues - Doutora em Educação pela Universidade Federal do Ceará, com trabalhos focados na avaliação educacional/institucional; Mestre em Educação pela Universidade Federal do Ceará; Especialista em Planejamento Educacional pela Universidade Salgado de Oliveira - RJ; licenciada em Filosofia pela Universidade Estadual do Ceará.
  • Solange Maria Silva Loiola - Pedagoga, Especialista em Avaliação do Processo Ensino-Aprendizagem e em Gestão Escolar; orientadora educacional.
  • Irene Nousiainen Sampaio - Especialista em Educação Biocêntrica - A Pedagogia do Encontro pela Universidade Estadual do Ceará e graduada em Secretariado Executivo pela Universidade Federal do Ceará.
  • Milton Ferreira - Professor de História e de Educação Artística
  • Patrícia Pereira de Matos - Pedagoga, Metodóloga, coordenadora pedagógica, professora de Literatura e de Língua Portuguesa.

sábado, 4 de outubro de 2008

ENCONTROS DE PSICOLOGIA COMUNITÁRIA

Tema: Psicologia Comunitária em diálogo com a Educação Popular

CONVIDADOS:

Jon Anderson - Psicólogo Comunitário, Mestrando em Educação e membro da Coordenação de Formação do Orçamento Participativo.
Maria Ione Sousa - estudante de Pedagogia da UFC e integrante do PRECE (Programa de Educação em Células Cooperativas).
Vera Dantas - educadora popular,coordenadora do Cirandas da Vida e membro da ANEPS (Articulação Nacional em Movimentos e Práticas de EducaçãoPopular em Saude)

Data:09/10/08 Horário: 18h – 21h
Local : Sala Interarte – Casa de Cultura Alemã - UFC
Fortaleza/CE

Taxa de Inscrição: Profissionais R$ 10,00 Estudantes: R$ 5,00

VAGAS LIMITADAS

Inscrições no NΨCOM – Núcleo de Psicologia Comunitária
Tel: (85) 3366 7729
Email: nucomufc@yahoo.com.br

Promoção:
Universidade Federal do Ceará - UFC

Apoio:
Departamento de Psicologi/UFC